A CEDAE

Programa Lagoa Limpa

 

Histórico da Qualidade da Lagoa Rodrigo de Freitas

Controle da Lagoa - monitoramento de emissões clandestinas de esgoto

O histórico de qualidade da Lagoa vem, inicialmente, acompanhado de relatos do início do século passado, onde moradores já faziam comentários como: “ ... quando a prataria da casa escurece é porque teremos mortandade de peixes...”, caracterizando já uma situação de existência de problemas com eutrofização do corpo hídrico. Ao longo dos anos outros exemplos mostraram a degradação da Lagoa, como é o exemplo descrito na Revista Municipal de Engenharia, edição abril a setembro de 1955, cuja matéria “Gás Inflamável e Altamente Tóxico na Lagoa Rodrigo de Freitas” demonstrava também os problemas causados pelos gases liberados pela zona eutrofizada.

Com o crescimento urbano formal e informal e principalmente este último, despojado de qualquer planejamento urbano, o arraste de matéria orgânica pra a Lagoa foi se acentuando e a falta de investimento ocorrida nos sistemas de esgotos sanitários nos últimos 30 anos levou a uma situação crítica de contribuições de esgotos sanitários para o corpo hídrico da Lagoa Rodrigo de Freitas.

A CEDAE, a partir de um planejamento estratégico que foi consolidado e teve seu início em 2006, efetuou inúmeras intervenções com o objetivo de proporcionar melhorias nos sistemas de esgotos sanitários de todas as sub bacias contribuintes para a Lagoa, e com isso iniciar uma recuperação ambiental, já verificada pelos órgãos de fiscalização ambiental do estado.

Descrição do Sistema da Região

O sistema de esgotos da região é composto pelo conjunto de sete elevatórias de esgotos sanitários, distribuídas no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas e Adjacências, transportando todos os esgotos das sub bacias da região. As elevatórias de José Mariano, Hípica, Caiçaras, Jardim Botânico, Cantagalo, Saturnino de Brito e Leblon, recalcam todos os esgotos sanitários dos respectivos bairros e adjacentes, para o Emissário Submarino de Esgotos de Ipanema, ESEI. Complementando o macro sistema de esgotamento sanitário e, preocupada com a possibilidade de poluição da lagoa Rodrigo de Freitas por outras vias, a CEDAE construiu e implantou complexos dispositivos de segurança no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas. Conhecidas como Galerias de Cintura da Lagoa Rodrigo de Freitas, estas são provida de quatro elevatórias – Elevatória de Galeria de Cintura José Mariano, Elevatória de Galeria de Cintura Hípica, Elevatória de Galeria de Cintura Cantagalo e Elevatória de Galeria de Cintura Caiçaras, que têm por finalidade interceptar as galerias de águas pluviais que chegam na lagoa, transferindo para o sistema separador toda água servida que passam por estas galerias quando em período de tempo seco.

Elevatórias ao redor da Lagoa Rodrigo de Freitas

As Intervenções da CEDAE para Recuperação Ambiental da Lagoa Rodrigo de Freitas

Entendendo ser estratégica a implantação de um Plano de Ação de contingência para a lagoa, a CEDAE o fez, de forma gradual, porém acelerada. Fruto de minucioso planejamento. Este Plano de Ação foi tendo acréscimos ao longo de seu desenvolvimento e hoje é uma realidade tanto para o meio ambiente quanto pra a sociedade. Foram aplicados recursos que remontam ao valor de R$ 148.000.000,00 (cento e quarenta e oito milhões) em intervenções que tiveram extremo significado para esta recuperação ambiental e que descrevemos a seguir:

Implantação de galeria de cintura, elevatórias e recalques no entorno da
Lagoa Rodrigo de Freitas+

Implantação de galeria de cintura, elevatórias e recalques no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, direcionando as águas servidas provenientes das galerias de águas pluviais às elevatórias de esgotos do sistema formal e implantação de 3.900 metros de redes coletoras em sistema misto no entorno das comunidades irregularmente assentadas, formando quatro conjuntos: Sistema Fonte da Saudade, Sistema Hípica, Sistema Cantagalo e Sistema Caiçaras. Esta intervenção proporciona maior segurança para o macro sistema de esgotos, na medida em que impede que ligações irregularmente feitas e lançadas em galerias de águas pluviais cheguem às águas da Lagoa, em dias em que não há ocorrência de chuvas intensas, fato que, no Rio de Janeiro, ocorre na maior parte do ano. Estas elevatórias remontam a 50 litros/segundo na sua capacidade máxima.

Recuperação do Emissário Submarino de Esgotos de Ipanema+

Recuperação de 69 apoios do Emissário Submarino de Esgotos de Ipanema.

Implantação da nova tubulação de recalque da Avenida Delfim Moreira+

Implantação da nova tubulação de recalque da Avenida Delfim Moreira em 1.280 metros, em tubos de 1000 mm. Esta nova tubulação permitiu que pudesse ser tirado de carga o antigo recalque da elevatória do Leblon.

Substituição da antiga tubulação de recalque da elevatória do Leblon ao
longo da Avenida Delfim Moreira+

Substituição da antiga tubulação de recalque da elevatória do Leblon ao longo da Avenida Delfim Moreira em uma extensão de 1.300 metros em diâmetro de 900 mm. Esta ação da CEDAE proporcionou a implantação de um sistema redundante para todos os esgotos oriundos de várias sub bacias da zona sul do Rio de Janeiro, em especial do sub sistema da Lagoa Rodrigo de Freitas, permitindo uma maior segurança e flexibilidade.

Implantação de nova tubulação ao longo da Avenida Borges de Medeiros+

Implantação de nova tubulação ao longo da Avenida Borges de Medeiros, recalque da elevatória da Hípica em um diâmetro de 600 mm e extensão de 3.200 metros em tubos de Polietileno de Alta Densidade (PEAD).

Modernização das elevatórias de esgotos do sistema separador absoluto+

Modernização das elevatórias de esgotos do sistema separador absoluto, e responsáveis pela condução de todo o volume gerado de esgotos na sub bacia da Lagoa Rodrigo de Freitas, com aplicação de novas tecnologias, tais como: inversores de frequência, medidores de nível ultrassônicos, bem como equipamentos mais adequados, bombas com rotores em aço inox, volutas revestidas com resinas de alta resistência, centro de controle e comandos automatizados, entre outros dispositivos e equipamentos de ultima geração. Foram aplicadas estas tecnologias nas elevatórias de José Mariano, Hípica, Caiçaras, Jardim Botânico, Cantagalo, Saturnino de Brito e Leblon. As obras de modernização das elevatórias do entorno da lagoa Rodrigo de Freitas proveu o macro sistema de esgotamento sanitário da região de maior segurança, eficácia e eficiência, reduzindo severamente a possibilidade de poluição da lagoa por extravasamento de esgotos sanitários. Cabe ressaltar que essas ações reduziram relevantemente os custos operacionais, diretos e indiretos, e de manutenção, além de propiciar maior vida útil para os equipamentos.

Parcerias

A CEDAE, buscando ampliar a abrangência do seu Plano de Ação para recuperação da Lagoa Rodrigo de Freitas, estabeleceu parceria com o Grupo EBX, empresa da iniciativa privada, de modo a alavancar recursos para implantação dos projetos finais de recuperação. Foi formalizada esta parceria - que se iniciou em 2009 e gerou expressivos resultados.

Os projetos desenvolvidos e executados foram os seguintes:

  • Verificação das galerias de águas pluviais contribuintes para a Lagoa Rodrigo de Freitas, ao longo de toda a sua extensão, através de televisionamento robótico comandado a distância, para detectar ligações irregulares de esgotos sanitários. Tal ação está gerando a retirada, em média, de 10 ligações por dia de esgotos. Tal ação é fundamental para a ampliação da recuperação ambiental da Lagoa.

  • Melhoria do fluxo hidráulico das redes coletoras de esgotos sanitários, através da limpeza das mesmas com equipamentos específicos.

  • Implantação e/ou substituição de redes coletoras de esgotos em logradouros de todas as sub bacias contribuintes ao sistema do Emissário Submarino de Esgotos de Ipanema.

  • Implantação, na elevatória do Leblon, de Centro de Controle Operacional de Esgotos, CCOE, dotado de alta tecnologia de controle e monitoramento, “on line” que nos permite atuar de forma imediata mediante a ocorrência de qualquer anormalidade no macro sistema. Nos permitindo a antecipação de ações preventivas e corretivas, propiciando maior segurança para o sistema de esgotamento sanitário da região.

Características Técnicas

Índices de toneladas de peixe mortos e coliformes fecais.

Como podemos ver, obtivemos uma melhora substancial da qualidade das águas da Lagoa, pelo indicador diretamente ligado a presença de esgotos sanitários, que são número mais provável de coliformes fecais por mililitro de água (nmp/ml), e como vemos caiu de cerca de 16.000 npm/ml para 1300 nmp/ml. Hoje já podemos verificar que o alcance chega até 400 nmp/ml. O número registrado no gráfico de 1300 já permitiria recreação secundária nas águas da Lagoa, mas, os números observados nos dias de hoje, nos levam a crer que a utilização para atividades de recreação primária, como banho, estão próximas.

Lagoa Rodrigo de Freitas - Estatísticas Básicas

veja todos Os PROGRAMAS
 
Search